domingo, 28 de fevereiro de 2010

Tatuagens de presidiários

“Quando eu me deito na cama, eu penso na vida e eu penso na morte – e nenhuma delas me agrada.”















Recursos utilizados para tatuar nos presídios:
A maioria das tatuagens feitas em presídios são obtidas por técnicas improvisadas. O instrumento utilizado como agulha pode ser obtido com clipes, corda de violão, grampo,  prego, dentre outros. A agulha é anexada a um pequeno motor, simulando o aparato profissional para tatuagem. Para dar cor aos traços, tinta de caneta, nanquim, plástico derretido, cinzas de cigarro misturadas a saliva. A cor da tatuagem, assim feita, usualmente é monocromática, azul ou preta, salvo casos de contrabando de tintas específicas para tatuagem.

 














O resultado da falta de antissepsia das técnicas resulta comumente em infecções graves, tanto bacterianas, quanto a disseminação de hepatite e aids entre os detentos, enquanto que a toxicidade das tintas inadequadas para implante hipodérmico também provoca quadros de intoxicação nos presos, especialmente naqueles que possuem o corpo extensamente tatuado.
















A precariedade do equipamento usado na prisão nem sempre permite a precisão de uma tatuagem profissional e o trabalho pode ser feito por alguém sem muita experiência. A tinta pode ser depositada em região profunda da pele, o que pode provocar cicatrizes. As linhas costumam ser tortuosas e o design, cru.


Entretanto, na década de 70, tatuadores detentos criaram um novo estilo para tatuar, denominado "fineline", permitindo um resultado quase realista, o que foi adotado de forma mais ampla, inclusive em lojas de tatuagem, com subsequente popularização do estilo até os dias atuais.


 Simbologia das tatuagens de detentos:
  • Representam grupos ideológicos, gangues, os quais estão inseridos, tornando a tatuagem um meio de forçá-los a não abandonar esses grupos e serem reconhecidos por outros, tanto por integrantes dos grupos, quanto por policiais.



  • Expressão de brutalidade, racismo e negação à autoridade.





















  • Codificação para comunicar com outros criminosos.
  • Submissão às leis impostas pelos prisioneiros.
  • Presentes por façanhas criminosas praticadas.



















    • As imagens delatam traços da personalidade do criminoso.






















      • Souvenir resultante do encarceramento, demonstrando tempo passado na prisão, crimes praticados.

       Três sepulturas significam que o proprietário desta marca tem o corpo fechado e guarda segredos como um túmulo.
      • Punição sofrida na prisão. Os crimes de estupro são punidos com tatuagens feitas à força. Pintas no rosto, tatuadas num processo forçado e doloroso. Desta forma, por onde estiver, o tatuado é reconhecido, passando a ser tratado pelos outros como homossexual passivo. Um pênis desenhado nas costas é outra punição aos estupradores. Isso facilita sua identificação por todos no presídio. Ter uma tatuagem dessas significa longos e terríveis anos de servidão sexual na cadeia.
      • Tatuagens de prisoneiros russos possuem simbologia complexa, que representariam especialmente sinais de orgulho. A Rússia possui a maior população encarcerada do mundo.
      Codificação: 
      • Raios duplos, ou número 88: Ideologia nazista."H" é a oitava letra do alfabeto. 88 codifica "Heil Hitler." 
      • Estrela de cinco pontas: Homicida.

      • Cruz com velas e tridente ao meio: Integrante do CNC, Comando Nazista da Criminalidade, facção contrária ao PCC.
      • Serpente: Traidores e delatores.
      • Santa: Latrocínio ou, ainda, arrependimento pelo crime praticado.

      • Pistola na perna, Jesus Cristo no peito: Latrocínio.

      • Cruz nas costas: Vingança.
      • Caveira trespassada por um punhal: Assassinos de policiais, normalmente disfarçada entre outros signos.
      • Borboleta: Busca pela liberdade, planos de fuga, ou homossexualidade. 
      • Cadeado, molho de chaves: Perseguido constantemente no interior da penitenciária, uma forma usada para pedir apoio.
      • Cruz com duas velas acesas na base, nas costas, em tamanho grande: Alta periculosidade.
      • Diabo: Matador, prazer de conviver com a morte.
      • Carpa: Chefes do crime.
      • Escorpião: Integrante do PCC.
      • Morte: Morte de policiais, latrocínio, homicídio.
      • Mago: Especialistas em sequestro e em resgate de presos.
      • Gnomos e duendes: Dependentes químicos.

      • Nossa Senhora Aparecida no peito ou nas costas em tamanho maior: Estuprador. 
      • Bolas de bilhar: Há casos em que contêm números que possam identificá-los dentro das facções (conhecido como matrícula). 
      • Palhaços: Quando aparecem com um dos olhos na mão, olheiro ou gerente da boca; podem aparecer lágrimas de sangue em preto ou vermelho, lágrimas em preto significam parceiros mortos pela polícia e lágrimas em vermelho, parceiro morto por facção rival.
      • Barco ou caravela, ao lado do coração: Anseio por liberdade.
      • Grades: Privação da liberdade, por vários anos.
      • Cruz com o crânio humano, no meio das costas: Lealdade aos colegas de cela.


      • 13: "M" é a 13ª letra do alfabeto, maconha, ou nos EUA também referencia a uma gangue de rua denominada MS13.
      Codificação nas mãos:

      Observa-se que nas próprias mãos são usados símbolos que se comunicam indicando não só o tipo de crime, mas também datas que não desejam esquecer como, por exemplo, a data em que morreram os companheiros de cela. Uma teia de aranha informa que seus cúmplices foram mortos; uma cruz com duas velas acesas, é um aviso aos colegas do cárcere, que o dono desta marca é um indivíduo de alta periculosidade; já um minúsculo número 12 na mão esquerda, ou ainda, uma folha de maconha estilizada, no dorso da mesma mão, refere-se estar ligado ao tráfico de drogas; uma sereia na perna direita, é o estigma dos condenados por crimes contra os costumes.

      Como se fossem insígnias de militares, quanto maior o número de pontos, mais alta a “patente” do criminoso, sendo assim: um ponto, normalmente, na mão direita, indica ser o indivíduo um batedor de carteira; dois pontos na mão indicam ser um estuprador; três pontos, em forma de triângulo, significam estar envolvido com o crime de tóxicos; quatro pontos formando um quadrado, informam que o indivíduo pratica o crime de furto; já cinco pontos identificam um praticante do crime de roubo com violência; um ponto em cada extremidade de uma estrela significa que o possuidor desta tatuagem pratica crimes de homicídio, e ainda, vários pontos formando um “x”, indicam que o possuidor é chefe de quadrilha ou líder de determinada facção criminosa.


      Gang Tattoo Removal Program:
      Os Estados Unidos possuem um programa, desde 1991, intitulado Gang Tattoo Removal Program que auxilia os presidiários a removerem suas tatuagens de gangues, em troca de bom comportamento e redenção. Além disso, representa uma chance de removerem seu passado das suas peles, um renascimento. Uma tatuagem removida pode auxiliar em uma busca por emprego, por outro lado, se  alguém tiver a tatuagem de uma gangue removida, pode ser tratado como traidor do grupo e ser punido, caso retorne à prisão. 



       Mapa de tatuagens de prisoneiro, documentado pela penitenciária de Idaho, EUA, década de 60.

       
      A caravela no coração faz referência à liberdade. O Satanás sobre o umbigo refere-se a detentos de alta periculosidade.


       
      Preso brasileiro da década de 20, com cinco pontos tatuados entre o polegar e o indicador, o que demonstra que ele era de uma quadrilha de assalto.


       
      Preso brasileiro por homicídio. A cruz é uma forma de apresentar um bandido de alta periculosidade.


       
      Lágrima tatuada aos 15 anos de idade que significa “a mãe de alguém perdeu o filho”. O dragão e o demônio tatuados de cada lado do peito geralmente representam alta periculosidade. 

      Raios duplos de um lado do pescoço desse preso, associados à mensagem do outro lado “Thank God I’m White” claramente anunciam sua ideologia racista. Outras tatuagens incluem nomes dos filhos, papoulas, os anos de suas três condenações, grades de celas e sua tatuagem favorita — “In Memory of Mac and Annie,” seus avós. Nas prisões californianas, este preso costumava trocar maconha por tatuagem e subornava guardas para adquirir tintas para tatuagem.

       
       Raios duplos, simbolizando “white power”. A cruz na mão e a grade no pulso foram adquiridas quando preso em 1973, e a mesma imagem foi utilizada por todos os membros da cela.


      Viking é outro símbolo racista.

       
       Fotografado ao cumprir prisão perpétua, o número “13” refere-se a "M", 13ª letra do alfabeto, usuário de maconha. Presos da California também usam o “13” para indicar sua filiação ao sul da California, enquanto que os residentes do norte utilizam o “14”.

       
      This is Omar, also known as ‘Chappies’ (the prison slang term for the tattoos, because he is so covered). The term ‘chappies’ comes from the bubble gum in South Africa, whose wrappers are covered on the inside with tiny “did you know?” facts (the tattoos perform a similar function).
      The scorpion on his upper arm shows membership of the notorious Cape Town Scorpions. The hand on his neck depicts the 28s gang salute. Across his chest you can see the beginnings on his emblazoned tattoo ‘Man-Hunter’ which he had put on to warn someone who had harmed him in prison that he would eventually exact his revenge. He was imprisoned for 15 years (released 2004) for stabbing a guy he was fighting, who had hit him over his skull with a rock. They have since apologised to one another, which seemed important to him.
      Omar was a ‘king’ in prison, commanding absolute respect. He now sleeps rough, inside a tunnel in the structure of an incomplete Cape Town flyover. He has not integrated back into ‘normal society’ and he spends his days at the city’s bus station, and sells wine to other street people.

      14 comentários:

      1. Adorei o post, muy interessante. :)
        Parabéns!

        ResponderExcluir
      2. the only thing i don't like is the guns and the use of it near a person too much....and these tattoo's are good as long as they do not disturb the natural beauty of a person

        ResponderExcluir
      3. Trabalho no sistema carcerário a quase 10 anos e confesso que nunca obtive tal informação e observação. porém muita coisa faz sentido o que me intriga observar desde já tais códigos e sinais, que se não forem iguais, se existem e qual os significados deles aqui no NE brasileiro.

        ResponderExcluir
      4. Post completo hein (y)
        Muito bom!Eu tenho um morcego tatuado, tomara que não signifique nada g.g

        ResponderExcluir
      5. Pedimos desculpa por só ter visto este post agora, mas mesmo assim não podemos deixar de agradecer.
        Muito obrigado, desde já, por ter passado pelo nosso blogue e por ter comentado. Este post está bastante bom. Já é uma ajuda para o trabalho que estamos a desenvolver.
        Mais uma vez, muito obrigado pelo seu trabalho e pela sua visita.

        ResponderExcluir
      6. Eu devia ter passado aqui antes para ler essas simbologias carcerárias. O tema é muito interessante, assim como a pesquisa feita com uso de imagens dos presidiários. Ótimo tópico.

        ResponderExcluir
      7. Muito bom este post! Precisamos sempre saber o que nos cerca!!! Ótimo!!!

        ResponderExcluir
      8. aprendi muito agora ja percebi
        meu pai tem 5 pontos na mao
        agora ja sei por que

        ResponderExcluir
      9. éé´bom pra saber agora não quero mesmo fazer tatuagnes

        ResponderExcluir
      10. Trabalho com tattoos ah 2 anos ja.E não sabia dessas simbologias,mas é interessante esse trabalho,hoje saberei quem estou tatuando,e tambem poderei explicar melhor,sobre os significados de cada desenho...
        Minhas máqinas são caseiras,mas nao como as de presidio...
        Agradeço pela matéria...
        Aguardo por novidades.

        ResponderExcluir
      11. Respostas
        1. eu acho que sim Bruno n faz.(Marcia Furacao)_

          Excluir
      12. borboletas e sinal de libianismo?pq eu fiz muitas sobre meu corpo da coxa ate as costa dando voltas en meu corpo ficou linda so qui depois me falarao que era coisa de lesbica,e verdade?n que eu tenha preconceito a isso.

        ResponderExcluir